×
logo O que é a poliureia?Tipos de ObraSobre NósBlogContactos
logo

ESPECIALISTA EM
IMPERMEABILIZAÇÃO
COM POLIUREIA

o que é a poliureia?

Aplicação de poliureia






O que é
a poliureia?

 

A poliureia é criada pela reação química (poliadição) entre um diisocianato (NCO-R-NCO) e uma poliamina (NH2-R-NH2), sem o auxílio de um catalisador ou de um agente de ligação cruzada adicional. Geralmente é aplicado usando um sistema de revestimento por pulverização em uma proporção de mistura de 1: 1.

poliureia






Poliureia

FLEXÍVEL - DURADOURO - CONTÍNUO

 

+ 400%

Elasticidade

> 25

Anos de vida útil


Continuo sem emendas







ESPECIFICAÇÕES
TÉCNICAS




Conteúdo de sólidos

100%

Secagem ao tato

15-20 segundos

Alongamento à rotura

> 400%

Resistência à tração

21 N/mm2

Resistência à abrasão

< 125 mg

Aderência ao betão

> 2,0 (Rotura do betão)

Tempo de secagem

Tráfego pedonal: 10m
Tráfego rodado: 24h







Questões
sobre poliureia

 

Os poliuretanos e os chamados híbridos (um polímero misto de grupos uréia e uretano) também são sistemas de pulverização 1: 1, mas contêm um terceiro componente (um catalisador, geralmente misturado com o componente poliol/poliamina) para reduzir o tempo de reação e alcançar a reticulação necessária.

Na Europa, sistemas contendo um mínimo de 70% de poliureia pura podem ser vendidos com o nome "Poliureia".
100% poliureia pode ser identificada com um rótulo oficial do PDA Europa ou na folha de dados técnicos como "poliureia 100% sólida".
Cuidado com a descrição "base-on" 100% poliureia - pois isso também pode significar que o sistema contém apenas 10% de poliureia "pura".



  • Sistemas "aromáticos"

    Estas são poliureias baseadas num diisocianato aromático (por exemplo MDI, TDI, ..).
    O seu nível de desempenho é excelente, mas estes não são estáveis ​​à luz.
    Isso significa que a superfície muda de cor na luz do sol, mas não degrada as propriedades físicas.

  • Sistemas "alifáticos"

    Estas são poliureias baseadas num diisocianato alifático (por exemplo, IPDI, HDI, ...).
    São estáveis ​​à luz, o que significa que não mudam de cor quando expostos à luz (sol ou artificial).
    Os sistemas alifáticos são mais difíceis de processar e são vendidos a um preço mais alto.



  • Sem VOCs e, dependendo da formulação, livre de odor
  • Temperatura de processamento: -30 ° C a + 60 ° C, mesmo em condições de alta humidade
  • Reação rápida, o que significa que a superfície pulverizada pode ser transitada após apenas 1 hora
  • Excelente resistência ao calor até 130 ° C, a curto prazo até 220 ° C
  • Consideravelmente melhor estabilidade UV em comparação com poliuretanos
  • Impermeável (age como um selo) e estável à hidrólise
  • Flexível (até 800%)
  • Sem emendas (revestimento contínuo)
  • Excelente ligação a substratos cuidadosamente preparados.
    ( Nota: isso não é válido se o substrato estiver contaminado, caso em que não ocorrerá colagem. )
  • Boa resistência química
  • "Tecnologia verde"


  • Um sistema de revestimento de fixação rápida
  • Aplicado suavemente sem emendas
  • Flexível
  • De longa duração (tempo de vida útil superior a 25 anos W3 (25anos), segundo a Avaliação Técnica Europeia, (E.T.E., antigo DITE) Nº 17/0401)
  • Uma "Tecnologia Verde" (sem solventes, 100% de reação)


  • Um sistema de revestimento para "tudo"
  • Uma tecnologia simples
  • Barata


  • Alta pressão (140 - 220 bar)
  • Alta temperatura (68 - 90 ° C)
  • Sistema de reacção rápida (5-8 segundos)
  • Requer tecnologia de máquina própria de projecção
  • Requer pessoal altamente treinado e qualificado
  • Requer planeamento logístico


  • Parques de estacionamento e garagens
  • Pisos industriais
  • Coberturas planas
  • Águas residuais e canal de esgoto
  • Aplicações marinhas
  • Tubagem industrial
  • Construção de aço e proteção contra corrosão
  • Piscinas
  • Arquitectura e restauro de edifícios
  • Rampas e plataformas de carga
  • Design de interiores e móveis
  • Parques de lazer
  • Revestimentos de pontes
  • Projetos Especiais






Outras informações
sobre poliureia

 

Os dois componentes (ISO e poliamina) são bombeados dos seus tambores de armazenamento para a máquina de spray. A máquina traz os dois materiais para os parâmetros de processamento necessários (pressão de processamento, temperatura de aplicação) e garante a relação de mistura correta (1: 1). Os dois componentes são transferidos através de mangueiras aquecidas (comprimento mínimo de 18 metros, até 100 metros é possível) para a pistola de pulverização. Os componentes não são combinados até chegarem à câmara de mistura onde se misturam sob alta pressão, iniciando a reação.



Os dois componentes (ISO e poliamina) são projectados através de uma pistola de vazamento (cabeça de mistura). A cabeça de mistura é equipada com um "misturador estático", para garantir que eles sejam misturados corretamente.



  • Tempos de reacção rápidos = retorno rápido ao serviço
  • 100% Estabilidade da cor (sistemas alifáticos)
  • Alta resistência química
  • Impermeabilização de estruturas complexas
  • Possibilidades de impermeabilização de estruturas com arquiteturas singulares
  • Poliureia = "tecnologia verde":
  • Reação de 100% dos componentes
  • Sem solventes
  • Sem odores
  • Certificados para o contacto com de alimentos e água potável disponíveis


"O maior segredo para uma boa impermeabilização com poliureia é a preparação da base e a escolha do primário adequado"

Existem vários primários para vários tipos de substrato e para as várias finalidades que têm em conta factores como a resistência, a aderência em betão, a classe de resistência à tração, o tipo de rotura (coesão ao suporte, produto, contacto entre ambos), a resistência à aderência a aço, a resistência ao impacto, a resistência ao desgaste, a dureza e o alongamento à rotura. A escolha correta do primário é crítica para a execução de um bom trabalho.







TIPOS
DE OBRAS






Algerozes
e Coberturas Planas









Algerozes
e Coberturas Planas


Muitas vezes o problema com o qual nos deparamos neste tipo de estrutura é que foram impermeabilizadas no passado com materiais que acabam por ficar ressequidos devido á exposição ao calor, frio e aos raios U.V. Ao ficarem ressequidos, perdem a elasticidade e acabam por fissurar provocando as infiltrações.

Outro problema está relacionado com as juntas de união dos materiais impermeabilizantes utilizados que, muitas vezes, acabam por descolar provocando as infiltrações.

A poliureia, quando aplicada corretamente, ou seja, com as espessuras e primários recomendados, tem uma elasticidade de cerca de 500% e, mesmo exposta ao calor, ao frio e aos raios U.V, mantém a elasticidade por mais de 25 anos.

Deve-se utilizar uma poliureia híbrida, onde se privilegie a flexibilidade em detrimento da tração uma vez que este tipo de impermeabilização está normalmente sujeita a grandes movimentos de dilatação e contração.

Ao ser uma impermeabilização contínua, sem emendas e ao possuir uma elevada elasticidade durante muitos anos é o que torna a poliureia no melhor sistema de impermeabilização existente no mercado.


  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS
  • ALGEROZES E COBERTURAS PLANAS



Coberturas de fibrocimento
e Painel Sanduiche









Coberturas de fibrocimento
e Painel Sanduiche


As coberturas em telha de fibrocimento (que contenham amianto) apresentam riscos graves para a saúde. A sua remoção, para além de dispendiosa é desnecessária pois, a maior parte das vezes a estrutura está em boas condições. O encapsulamento da telha de fibrocimento com poliureia é a solução mais barata e duradoura, evitando mexer nas telhas existentes.

Por norma as infiltrações nos telhados em fibrocimento como nos telhados em painel sanduiche dá-se nas juntas das telhas. É necessário proceder a uma revisão prévia das juntas com material selante e só depois proceder á aplicação de primário e poliureia.

A poliureia a utilizar deve privilegiar a elasticidade em detrimento da resistência á tração.

A poliureia aplicada em coberturas deve ser recoberta com uma tinta poliaspártica. A selagem e proteção poliaspártica à radiação U.V. em cor branca possui um Índice de Reflectância Solar, SRI = 106, o que equivale a uma diminuição da temperatura da cobertura em cerca de 20%.

Também se pode realizar a impermeabilização térmica da cobertura com a projeção prévia de espuma de poliuretano por cima da chapa de fibrocimento e recobrir a espuma de poliuretano com uma poliureia híbrida.

Telhado em fibrocimento bastante sujo e danificado com as juntas abertas.


  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE
  • COBERTURAS DE FIBROCIMENTO E PAINEL SANDUICHE



Aplicação de Poliureia
em Coberturas técnicas









Aplicação de Poliureia
em Coberturas técnicas


As coberturas técnicas têm, muitas vezes, a particularidade de serem trespassadas por uma elevada quantidade tubagem o que torna a substituição deste tipo de estrutura muito complicado e demorado obrigando á paragem de produção ou deslocação dos serviços que se encontrem por baixo da cobertura.

Com a aplicação de poliureia como impermeabilizante evitamos todos estes contratempos que se podem revelar bastante dispendiosos para a atividade das empresas.

Como a poliureia é um produto projetado, consegue-se contornar toda a tubagem existente formando uma impermeabilização contínua entre a cobertura e as tubagens.

Temos de ter em atenção que estes tipos de estruturas têm grandes amplitudes térmicas (alguns tubos chegam a atingir mais de 100ºC) por isso deve-se aplicar uma poliureia híbrida, privilegiando a flexibilidade em detrimento da resistência à tração.

A poliureia aplicada em coberturas deve ser recoberta com uma tinta poliaspártica. A selagem e proteção poliaspártica à radiação U.V. em cor branca possui um Índice de Reflectância Solar, SRI = 106. O que equivale a uma diminuição da temperatura da cobertura em cerca de 20%.


  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM COBERTURAS TÉCNICAS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM COBERTURAS TÉCNICAS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM COBERTURAS TÉCNICAS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM COBERTURAS TÉCNICAS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM COBERTURAS TÉCNICAS



Impermeabilização de piscinas
e reservatórios com poliureia









Impermeabilização de piscinas
e reservatórios com poliureia


Existem vários cuidados a ter na impermeabilização de piscinas e reservatórios com poliureia desde a sua construção até ao acabamento final.


Construção

Na construção deve-se ter a preocupação de executar a impermeabilização do exterior das piscinas e reservatórios. O betão não deve ficar em contacto direto com as terras envolventes pois as águas que andam na terra podem penetrar no betão e fazer pressão sobre os revestimentos aplicados provocando a descolamento dos mesmos. A impermeabilização exterior pode ser feita com tela asfáltica, plástico grosso, espuma de poliuretano projetado de alta densidade (célula fechada), poliureia, etc.

Outro cuidado a ter na construção é deixar um reboco liso, ou areado ao qual tenha sido acrescentado latex para aumentar a adesão do reboco. As arestas das paredes com o piso da piscina devem ficar em meia cana para uma melhor distribuição de cargas e posterior limpeza da piscina ou reservatório.

Após a execução do reboco é necessário deixar passar cerca de 30 dias para que o cimento cure e a maior parte da água das massas evapore.


Impermeabilização

A impermeabilização de piscina e tanques com poliureia tem de ter mais cuidados que, por exemplo, a impermeabilização de um terraço com poliureia.

Devido às cargas a que vai estar sujeita e aos ataques químicos, sobretudo do Cloro, tem de se garantir uma boa espessura de poliureia, uma boa adesão da poliureia ao betão abrindo o poro do betão com máquina diamantada e aplicação de duas demãos de primário epóxi polvilhado com sílica e, finalmente, um bom recobrimento da poliureia com duas demãos de tinta de poliuretano ou poliaspártico.

Deve-se utilizar uma poliureia pura, com alguma resistência à tração.

Ao ter estes cuidados, estamos a garantir que a sua piscina permaneça em bom estado por muitos e muitos anos.


  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISCINAS E RESERVATÓRIOS COM POLIUREIA



Aplicação de
Poliureia em Pisos









Aplicação de
Poliureia em Pisos


Devido á sua alta resistência á tração e baixo desgaste, a poliureia é dos materiais mais resistentes ao tráfego automóvel sendo adequada na impermeabilização e como camada de desgaste de parques de estacionamento e pisos industriais. As camadas de rodagem e proteção são formadas por resinas de base poliuretano, que se aplicam sobre as membranas de poliureia principalmente em sistemas que suportam trânsito rodado, e permite polvilhar agregados de sílica ainda em fresco, criando uma capa rugosa para melhorar a tração, a aderência de camadas superiores, e aportam uma resistência mecânica e proteção adicional sobre a membrana.

Os cuidados a ter na sua aplicação prendem-se fundamentalmente com a adesão ao substrato. Quando o piso apresenta sinais de humidade ascendente é necessário aplicar primeiro uma barreira de vapor para que essa humidade não acabe por descolar a poliureia do piso.

Possibilidade de acabamento rugoso da classe 3 de acordo com o CTE DB SUA-1, segundo o ensaio de deslizamento de pavimentos, com Rd> 45, de acordo com a norma ENV 12633.

Mais uma vez é preciso uma análise cuidada, feita por pessoal técnico especializado, para que a preparação da base, a escolha do primário, o tipo de poliureia aplicar e o acabamento utilizado sejam os ideais para que o sistema funcione de forma eficaz.


  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM PISOS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM PISOS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM PISOS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM PISOS
  • APLICAÇÃO DE POLIUREIA EM PISOS



Impermeabilização
de terraços transitáveis









Impermeabilização
de terraços transitáveis


Os terraços e varandas transitáveis são a área de aplicação onde mais se justifica a aplicação de poliureia como impermeabilizante nos casos em que a impermeabilização existente destas estruturas estão a dar problemas de infiltração. Normalmente quando ocorrem problemas de infiltração neste tipo de estrutura, o procedimento a executar era o de remover o material existente tais como o mosaico, a betonilha e a tela impermeabilizante, voltar a colocar novas telas e refazer o piso com novas betonilhas e colocação de novo mosaico. É um processo demorado e muito incómodo para os moradores e vizinhos do local da obra. Com a aplicação de poliureia, podemos aplicar a impermeabilização por cima do material existente (mosaico, betonilha, tela, etc. Apenas temos de garantir que estes materiais se encontram devidamente aderidos. Utilizando o primário adequado para cada tipo de material, podemos garantir uma impermeabilização contínua, de forma rápida e sem transtorno nem barulho para os moradores e vizinhos. Caso pretendam, podem recolocar mosaico por cima da poliureia utilizando cola de poliuretano.

Deve-se aplicar uma poliureia pura com resistência á tração e recobrir a poliureia com uma tinta de poliuretano ou poliaspártica na cor a escolher para que os raios U.V não alterem a cor, e apenas a cor, da poliureia.


  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS
  • IMPERMEABILIZAÇÃO DE TERRAÇOS TRANSITÁVEIS



Sobre Nós


O nosso segredo? A satisfação dos nossos clientes!

O que começou como uma loja de revenda de tintas, vernizes e materiais de pintura, rapidamente se expandiu para a pintura e repintura de construção civil, remodelações e reconstrução. Hoje somos uma empresa de renome na zona centro, com um leque alargado de clientes nacionais e internacionais. Faça do seu sonho a missão da nossa empresa! Temos uma vasta experiência na execução de obras e impermeabilizações.







Blog





Contactos

  Entre em contacto connosco  



  (+351)  232 423 263

  (+351)  919 381 552

  viseuropa@viseuropa.com

  Largo Mouzinho de Albuquerque Bloco A, R/C Dto
3500-160 Viseu

OBTER DIRECÇÕES  MOSTRAR A MINHA POSIÇÃO  

  40.6598909, -7.907732099999976


 

Pedido de Informação





Subscreva

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO AS NOSSAS OFERTAS


 
 

&   &